1. Comentado por Adm. Julio Juncioni há mais de 3 anos.

    Assim, Bergamini (2006) pontua que, a partir de Lewin, foi possível isolar vários
    critérios para, então, identificá-los. Nesse sentido, o comportamento de grupo surge quando os
    indivíduos experimentam as mesmas emoções de forma a integrá-los, onde, o grau de coesão
    os capacita a adotar o mesmo tipo de comportamento.
    Com base em dois tipos de grupos, o psicogrupo e o sociogrupo, onde o primeiro
    relaciona-se com a organização e a orientação em função da realização de uma determinada
    tarefa e o segundo relaciona-se com a polarização de seus membros em função da execução
    da tarefa, Kurt Lewin desenvolveu sua teoria de campo, cujos elementos centrais enfocam a
    complexidade da personalidade individual (totalidade dinâmica), levando-se em conta o “eu
    íntimo”, o “eu social” e o “eu público”, constituintes de tal personalidade.
    Deste modo, Bergamini (2006) sistematiza os quatro pressupostos básicos de Lewin:
    1. O grupo deve ser considerado como o terreno ao qual o indivíduo se mantém;
    2. O indivíduo utiliza o grupo como seu instrumento para a satisfação de necessidades
    próprias;
    3. Os valores, necessidades e expectativas pessoais podem ser gratificados ou
    4
    frustados pelo grupo;
    4. O grupo é considerado como um dos elementos do espaço vital do indivíduo.
    Neste contexto, o mérito de Lewin fica caracterizado na adaptação social, onde o
    indivíduo lida com sua superação diante das dificuldades naturais da vida ou no âmbito
    profissional, bem como de, periodicamente, atualizar seus anseios e suas ações para atingir
    seus objetivos, sem contudo, precisar deteriorar seus laços funcionais no campo social no
    qual está inserido e que, via de regra, constitui-se fundamentalmente sua existência.



Ocultar